Colocando preço em produto/serviço

Olá, Leitores!

Hoje quero abordar nessa matéria um assunto que sempre temos duvidas na hora de vender algo ou serviço. O Preço. Quando se trata de precificar algo, sempre temos aquele medo de dizer um valo x para que não espante nosso comprador, cliente ou público alvo daquilo em questão.

Muitas vendas acabam sendo perdidas pelo preço final do produto/serviço, questão de centavos pode ser a diferença para se perder uma venda. Portanto, na hora de colocar um preço em algo, temos que tomar todo cuidado e com muita cutela analisar tudo que pode estar envolvido no seu produto serviço.

O valor cobrado pelo produto deve ser suficientemente alto para proporcionar lucro a quem o está produzindo ou comercializando, porém não pode ser tão alto que desestimule a compra, ou seja, deve ser atrativo para os clientes. Preços demasiadamente baixos podem depreciar o produto aos olhos dos compradores, que podem pensar que há algo de errado nele.

Segundo o site do SEBRAE são fundamentais esclarecer os seguintes fatores na hora de compor um preço:
Custo: engloba todos os componentes necessários para a fabricação dos produtos, desde matéria-prima a impostos.

Concorrência: é necessário contrapor os preços do produto aos da concorrência, sobretudo porque os concorrentes podem nos forçar a seguir o seu preço, de acordo com a dinâmica de mercado.

Consumidor: é preciso levar em conta aquilo que o cliente está disposto a pagar. Faça pesquisas de mercado, avalie o cenário econômico e conheça bem o perfil do seu público-alvo, sobretudo seus hábitos de consumo, poder aquisitivo e suas necessidades reais.

Valor agregado: quando um produto atende às necessidades e desejos de um consumido, satisfazendo-o, estabelece-se um elo entre o cliente e a mercadoria que pode e deve ser valorizado. Por meio desta ligação, o cliente percebe um mesmo preço como mais ou menos caro

Já para calcular o valor real e final do produto/serviço, é necessário avaliar 3 fatores:

Mark-up: análise dos custos inerentes à produção, comercialização, distribuição e divulgação do produto, acrescentando posteriormente a margem de lucro que se pretende atingir. É o método mais básico e seguro para definição de preços, por isso é o mais utilizado e recomendado.

Preço-teto: primeiro, identifica-se o preço máximo que o mercado está disposto a pagar pelo produto; em seguida, faz-se os ajustes necessários para garantir menores custos e maior produtividade e lucro.

Percepção de valor: leva em conta a percepção dos clientes em relação ao preço praticado. Na hora de avaliar o preço, os clientes também consideram os descontos, prazos, taxa de juros, serviços adicionais, atributos da marca etc. Esta é a metodologia de precificação mais interessante, pois permite remunerar todo o esforço feito para agregar valores ao produto.

Com todas essas técnicas e análises, com certeza seu produto entrará competitivo no mercado e com grandes possibilidades de vendas e reconhecimento.

Valorizar sempre o por trás do seu produto/serviço que é toda preparação que você teve até ele ter a sua forma final.

Nunca esqueça que o barato pode gerar desconfiança e o muito caro pode gerar desinteresse.

Negocie, seja flexível, seja aberto a ceder ou reinventar seu preço. Descontos agradam a todos e fideliza muitos clientes.
Abrace seu produto e faça o melhor preço para te dar lucro!

 

Boa semana!

Ulisses Nunes
15 de agosto de 2017
 •  Utilidade Pública  • 
Entre em contato