É OK, NÃO É OK: CERVEJAS

O nosso É OK, NÃO É OK do mês será sobre: Cervejas!

Difícil encontrar quem não gosta de uma, mesmo para os que não apreciam esta bebida é difícil resistir principalmente num país de clima tropical como o nosso. Mas quando falamos de cerveja, o que é OK e o que não é Ok sobre isso?  Depois de um papo muito interessante sobre o assunto com Omar, um dos proprietários do Tantra Granja Viana, trago algumas dicas sobre como apreciar a bebida mais consumida em todo o mundo.

É OK

APRECIAR uma boa bebida, independente de qual é sempre Ok, mas vale lembrar de algumas “regrinhas” que devem ser seguidas, senão o ato de apreciar fica em segundo ou até terceiro lugar.

NÃO É OK

Se dizer um apreciador simplesmente porque toma uma todos os dias, ou aguenta muito, ou se limita simplesmente as marcas mais comerciais e baratas oferecidas no mercado.

Nada contra, lógico, o ato de apreciar requer tempo, experiência e um certo investimento, sem falar que não é para toda ocasião, as vezes queremos apenas relaxar e curtir, sem nos preocupar muito com sabores, temperaturas ou copos corretos.

Quer aprender algumas dicas? Veja com quem entende no vídeo a seguir:

O QUE É CERVEJA?

A Cerveja é conhecida histórica e talvez uma das primeiras bebidas alcoólicas criadas pelo ser humano, com relatos de sua existência desde 6000aC. Com o passar do tempo os processos foram mudando e com o desenrolar dos anos uma lei na Alemanha tenta padronizar o produto, com a Lei de Pureza Alemã. De acordo com a Lei, para uma bebida ser considerada cerveja três ingredientes deveriam existir: água, malte e o lúpulo. Hoje a levedura também é inclusa para o processo de fermentação. Para os alemães estes devem ser os únicos ingredientes que devem compor uma cerveja. Agora mundo afora a coisa já não é bem assim, as cervejas Belgas, por exemplo, são extremamente conhecidas por possuírem outros elementos em sua composição, brincando com a fórmula básica, adicionando sabores, cheiros e cores nas cervejas.

Com tantas opções, por onde começar?

A primeira dica sugerida por Omar é: a cerveja deve ser 100% malte!

A cervejas de caráter mais comercial e de menor valor, muitas vezes possuem outros tipos de carboidratos em sua composição que são adicionados para baratear o processo de produção, o que afeta a qualidade do produto. Surge então o lema de que cerveja boa deve estar TRINCANDO. Mentira! As baixas temperaturas afetam o nosso paladar, impedindo que as papilas gustativas diferenciem os diferentes sabores, facilitando o processo de beber, mas certamente não o apreciar da bebida.

Os grãos do malte dão corpo e cor para a cerveja, quando torrados geram bebidas de tons avermelhados ou as cervejas pretas, por isso são extremamente importantes!

Temos nossa cerveja puro malte, e agora?

Recomendo que comece pelas de menor teor alcoólico, os aromas e sabores contidos ficarão mais presentes no paladar e você poderá começar a saber melhor qual o seu tipo favorito. Uma dica interessante também é ficar de olho no índice de amargor (IBC), evite passar dos 60 se você não está familiarizado com cervejas amargas, pois a partir deste valor o sabor da cerveja fica bem forte! Cuidado também com cervejas que contenham corantes em sua composição.

Algumas marcas nacionais também oferecem cervejas com partes mais frutadas como com laranja ou canela, o que a torna mais agradável ao paladar até mesmo de quem não costuma tomar cerveja.

Tempos atrás o mercado das cervejas era basicamente internacional, hoje as microcervejarias e cervejarias artesanais nacionais também dominam muito bem o mercado e possuem ótimas opções e para todos os gostos,  evitando gastos astronômicos dado o valor do dólar hoje.

Quanta coisa não? Agora podemos começar a beber?

NÃÃÃÃÃOOOOO!!!

Falta apenas mais um detalhe: o copo. Como servir a sua cerveja?

Já falamos que a cerveja não precisa estar quase congelada, mas existe uma temperatura ideal para degustação e que varia de cada tipo de cerveja, fique atento ao rótulo. Mas e para servir?

Pode parecer besteira mas o copo correto pode ajudar muito na apreciação da cerveja escolhida. Cervejas mais fracas podem ser servidas em copos de boca mais fechada, onde os aromas se concentração e poderemos senti-los mais facilmente. Agora as de sabores mais marcantes não necessitam de bocas tão fechadas, ou copos tão longos, pois os aromas podem acabar ficando forte demais prejudicando o paladar depois.

IMG-20160706-WA0011

Cervejas a base de trigo já pedem um copo longo, mas por quê?

Normalmente essas cervejas não são filtradas, contendo resíduos que ficam no fundo das garrafas e que são importantes para a cerveja. Um copo raso fará com que a primeira porção da cerveja não tenha sabor nenhum, parecendo fraca enquanto a porção final pode ficar muito forte devido a estes resíduos que ficaram concentrados. Por isso a utilização de um copo fundo, onde toda a cerveja pode ser servida no copo e ser degustada por igual.

Dê preferência por copos gelados também! Uma dica é completar o copo com gelo e água, dentro de dez segundo temos um copo gelado e pronto para servir. Sirva aproximadamente 2/3 a 3/4 da cerveja no copo. A porção final ficará com os resíduos do fundo da garrafa, por isso mexa levemente o fundo para remover toda sua composição e complete o copo. Dessa forma os resíduos entrarão desde a boca até o fundo do copo, e a cerveja terá uma qualidade igual, por todo ele.

Agora sim! temos todas as informações básicas para degustar a nossa deliciosa e gelada cerveja. Degustar é uma arte, por isso requer, tempo, interesse e investimento. Cada bebida possui suas peculiaridades, a cerveja não seria diferente.

Mas é importante lembrar que essas são apenas dicas! Cerveja boa é aquela que a gente gosta de tomar, independente de métodos, temperaturas ou copos. Mas se é algo que lhe interessa, deixo minhas sugestões sobre como começar.

Tem alguma opinião sobre o assunto? Deixe seu recado, quanto mais discutirmos melhor!

IMG-20160706-WA0008

Deixo agora meu agradecimento especial ao meu casal favorito em todo o mundo. Obrigado a Omar e Paula Farias pela oportunidade em aprender tanto com vocês e pela ótima companhia durante toda a nossa gravação. E para quem ainda não teve a oportunidade, não deixe de visitar o Tantra Granja Viana, localizado na Avenida São Camilo, 988, Cotia/SP.

Comidas, bebidas, ambiente, sons e aromas únicos!

IMG-20160706-WA0009

IMG-20160706-WA0006

Carlos e Omar
Entre em contato