Guerra contra a balança

O que a gente mais ouve nas rodas de conversa feminina é a palavra dieta. A maioria das mulheres, até as mais magras, acredita que deveria emagrecer pelo menos dois quilos. Ano a ano, o padrão de beleza se transforma e hoje em dia é preciso estar muito mais magra para ser considerada em forma, e para entrar na categoria plus size, você deve estar muito menos gorda do que imagina.

Existe uma corrente muito forte para a aceitação do nosso corpo, vejo muitas matérias com o objetivo de empoderar mulheres acima do peso e grandes lutas para provar que beleza não é mérito apenas de quem está magra.

Longe daquelas mulheres descontentes com seus corpos, da loucura pelo peso ideal, estão Elen Soares e Renata Cassetari, exemplos de beleza na categoria, bonita de verdade.

zi-5

Quando a Elen passa “o mundo inteiro se enche de graça”.  Quem a conhece sabe que cara feia não faz parte da vida dela. De bom humor, ela está sempre com um sorriso no rosto, aliás, ela fala sorrindo.

Elen conta que beleza é ter amor próprio, estar com a autoestima lá em cima, estar bem consigo mesma, independente de raça, cor, altura. Ela acredita que cada um tem sua beleza e que não existem padrões. “A pessoa para ser linda não precisa ser magra, alta, loira dos olhos azuis, para mim, uma pessoa linda, é linda e pronto! Eu me acho linda e acredito que as pessoas acham também pois se nos amamos do jeito que somos, pode ter certeza que os outros também  amarão”.

zi-6

E sabe aquela história de ir para praia, ficar de canga e não mostrar o corpo? Pergunta para Elen se ela tem algum problema em colocar um biquíni? “Que bobeira, eu nunca tive problema com isso, sempre uso biquíni, além do mais não gosto da marquinha do maiô”, afirma soltando aquela risada.

Enquanto algumas mulheres passam o tempo todo se lamentando sobre seu corpo e se escondendo atrás de roupas enormes, Elen passa protetor, amarra a cordinha do biquíni, sai feliz da vida andando por aí… sem canga, sem saída da praia, sem vergonha!

E qual é a gordinha que nunca ouviu a frase: “Nossa você tem um rosto lindo porque não emagrece?” Parece que as pessoas dividem a beleza em partes, tem mania de achar que a beleza não está no todo. Ser belo é ter um conjunto de qualidades, muitas delas só percebidas quando deixamos para trás aquela revista sobre corpo perfeito.

Renata Cassetari é muito mais que um rostinho bonito, ela tem um corpo inteiro para mostrar sua beleza em curvas. Além disso, tem uma personalidade, um carisma e uma simpatia que nunca passam despercebidos. Perguntei a ela se ela se encaixava no perfil “gordinha” e ela me contou que costumava se autointitular como gordinha, porque tinha vergonha da palavra gorda ou obesa. Mas que hoje ela encara “gorda” não como um adjetivo que a define, já que de forma alguma aparência pode definir alguém, mas como uma condição física.

zi-2

O olhar doce e a aparência de mulherão compõem a beleza de Renata. “Gosto muito do meu rosto, do meu cabelo, minha pele… e da minha falta de estilo definido. Me visto e me maquio muito de acordo com meu estado de espírito. Quanto ao corpo, tenho enfrentado problemas de saúde devido a obesidade, estou em um momento de desconforto, mas devo admitir que muito mais pelo sedentarismo e falta de disposição física do que pela aparência”.

zi-3

Nossa saúde tem que vir em primeiro lugar, sem ela não conseguimos fazer nada. Estamos cansados de saber que nem sempre um corpo magro é saudável e que nem sempre ter um peso maior significa doença. Quando o excesso de peso se encontra com a falta de saúde, aí sim é sinal de alerta, ao contrário, a palavra de ordem é amor próprio. E como a Renata mesmo disse estar acima do peso é apenas uma condição física, um estado que pode mudar a qualquer momento.

No próximo post, vamos falar sobre as outras mulheres do tipo mignon, guerreiras e mulherão. Aguardem =D

Carol
25 de abril de 2016
 •  Comportamento  •           
Entre em contato